fbpx

A sensação de ansiedade é uma reação normal do ser humano a uma ameaça e na verdade é até mesmo, um mecanismo de defesa. Mas em tempos como os atuais com o coronavírus, podemos nos ver presas em um ciclo constante de ansiedade, bloqueando nossas ações, concentração e até o raciocínio lógico – o que é completamente compreensível.

Durante esse momento queremos que você saiba que pode contar com o Chá de Autoestima! Por isso, decidimos fazer um listinha de formas para você lidar melhor com esse sentimento:

1) Evite o excesso de informações 

A todo momento surge um dado novo sobre a COVID-19 o que leva os noticiários a lotarem suas programações de reportagens. Obviamente é importante se manter informada, mas o excesso de notícias acaba gerando uma preocupação exacerbada e estresse. Sentiu que os sites e jornais estão te deixando ansiosa? Crie uma programação na sua rotina para se informar de uma a duas vezes ao longo do dia, cerca de no máximo 30 minutos. Tente evitar que esse momento seja logo ao acordar ou antes de dormir.

Foque nas informações que realmente te ajudarão nas práticas para prevenção. Se informe somente por fontes confiáveis, veículos de renome para não cair em fake news. Evite vídeos e áudios encaminhados no whatsapp. Não abra e nem escute. Lembre-se de que o que você precisa saber está nos veículos de comunicação seguros e confiáveis.

2) Aceite a incerteza  

Negar a incerteza das coisas e tentar prever, controlar todas as situações ou projetar um futuro o tempo todo para se prevenir de tudo que pode “dar errado” é o que tornam as pessoas ansiosas. Um estudo durante a pandemia de H1N1 de 2009 mostrou que as pessoas que tiveram mais dificuldade em aceitar a incerteza da situação tinham maior probabilidade de experimentar altos níveis de ansiedade. É um exercício. Tente aos poucos trabalhar com as incertezas do dia a dia, diminuindo a intensidade de buscar certezas.

Comece pequeno: Na próxima vez em que precisar de uma resposta para uma pergunta por exemplo, não busque imediatamente no google. Segure o desejo de ter certeza. Olhe menos a hora, a previsão do tempo. Tudo isso são exercícios simples para aceitar a incerteza. Naturalmente você vai reduzir o número de vezes por dia em que consulta a internet ou liga a TV para conseguir mais informações sobre a COVID-19.

3) Se posicione

Observe e faça uma lista das coisas da sua rotina que você identifica como gatilhos para ansiedade. Pode ser um comportamento, uma pessoa, um grupo… Conseguiu identificar o que te dá gatilho de ansiedade nesse momento? O que você pode fazer HOJE pra diminuir esse gatilho? É algum grupo no whastapp? Alguma atitude de alguém próximo?

Expresse como você se sente e se posicione para o bem da sua saúde mental. Não tenha vergonha de dizer: “prefiro não falar sobre isso porque me causa sentimentos ruins”, “vou sair do grupo por enquanto porque acho que será melhor para o meu bem-estar”.

Acredite, só o fato de você identificar seus gatilhos e se posicionar, fará com que você se sinta melhor.

4) Não finja que não está ansiosa

Já percebeu que quanto mais você pensa em não se sentir ansiosa mais ansiosa você fica? Tudo que você nega, cresce. Sem querer, para fugir da ansiedade, você pode apresentar outros comportamentos nada saudáveis: compulsão, procrastinação, obsessão… Esses comportamentos proporcionam alívio momentâneo. A longo prazo eles podem piorar a ansiedade.

Ou seja, negar a ansiedade quase sempre significa, alimentá-la. Permita que seus pensamentos, emoções e sensações físicas ligados a ansiedade aconteçam. Quando surgirem ondas de ansiedade por causa do coronavírus, observe e descreva a experiência, seus pensamentos para si mesma ou para outras pessoas da sua confiança.

Resista ao desejo de fugir do seus medos ou de tentar acalmá-los de forma obsessiva lendo notícias sobre o vírus. Por incrível que pareça, acolher a ansiedade no momento em que ela aparece sem fugas, leva a menos ansiedade a longo prazo.

5) Pratique o autocuidado e a resiliência 

Durante esse momento também é válido lembrar do que é eficaz para ansiedade desde de sempre: durma bem, estipule horários para dormir e acordar, faça exercícios físicos, pratique meditação (hoje em dia existem vários aplicativos para você praticar em casa!) e exercícios de respiração.

Alimente-se bem e ocupe sua mente com atividades prazerosas e que te trarão sentimento de utilidade. Manter esses hábitos durante esse período aumenta seu bem-estar psicológico e reforça o seu sistema imunológico. Vamos falar a verdade? Um momento como esse desperta na gente o medo da morte.

Mas lembra lá do que falamos sobre saber lidar com as incertezas? Nessas horas é preciso lembrar da nossa capacidade humana em sermos resilientes e adaptáveis. Já pensou tudo que a humanidade já enfrentou? E cá estamos nós. Use esse momento de se conectar com seu propósito de vida com a sua espiritualidade, com as pessoas que você ama e que te fazem bem.

Que tal começar algo que você sempre quis, mas adia há anos? Pode ser um curso online, um livro, se livrar de entulhos, fazer uma limpa no guarda-roupa, começar a meditar, a se exercitar, aprender a cozinhar… Quem sabe até fazer as pazes com alguém? Essas são uma das formas de fazer com que seu foco seja a saúde e o bem-estar e não a doença.

Lembrem-se: Tudo na vida é temporário! E esse momento também vai passar.

Veja também

Copyright © 2021 Chá de Autoestima. Todos os direitos reservados.