Publicado em Deixe um comentário

Ervas para o amor próprio no Blend Chá de Autoestima

Ervas para o amor próprio Autoestima

As plantas e ervas para o amor próprio sempre se conectaram de uma forma especial com as mulheres. Na força que cura, na potência que acalenta, no mistério que envolve.

A mulher está no útero da matriarca camomila, que parece frágil, dócil, mas tem a força que acolhe, cura e dá a luz que clareia as ideias e nos ajuda a rever nossas crenças. A camomila acalma. E não porque te anestesia mas porque te liberta.

A mulher está na fertilidade do Hibisco, uma referência à Ísis, a deusa da fertilidade. E ser fértil é se permitir criar,se reinventar, ser dona de si mesma, ouvir sua intuição. Encontrar seu equilíbrio.

A mulher tá no poder de comunicação, na provocação e na libido da Canela. Aquela que se precisar queimar tudo, queima. Domina, mas também aquece, recebe, dá prazer.

A mulher está no magnetismo da Jasmim, feliz de ser quem é, que faz um mergulho interno em si mesma porque entende que tudo se constrói de dentro pra fora. Jasmim te convida a rever o seu feminino, olhar seu coração, suas emoções, compreender e honrar sua própria história.

A mulher é próspera e estimulante como o cravo, livre do medo de brilhar, com consciência do seu poder de atração, pronta para o sucesso.

Ervas para o amor próprio Autoestima

O que é poder feminino pra você?

O Blend Chá de Autoestima com flores e especiarias foi criado para ser o seu companheiro nos rituais de autocuidado, autoamor e autoconhecimento. Rituais são formas de fortalecer seu vínculo com você mesma. Beber um chá se torna um ritual quando é feito com atenção, intenção e plena entrega. O nosso chá foi desenvolvido com ingredientes para as necessidades físicas, emocionais e energéticas da mulher.

O blend contém:

Camomila:

  • Diminui a ansiedade e a insônia
  • Reduz cólicas menstruais, cólicas intestinais e gases
  • Ação antibacteriana, antifúngica e anti-inflamatória
  • Trabalha curas emocionais e a culpa

Hibisco:

  • Evita a retenção de líquidos
  • Antioxidante
  • Aumenta a produção natural de colágeno, hidrata e cicatriza
  • Trabalha a criatividade, intuição e o equilíbrio emocional

Canela:

  • Termogénica
  • Melhora a circulação sanguínea, reduz o inchaço do corpo
  • Antibacteriana
  • Trabalha a libido e a comunicação

Cravo:

  • Facilita a digestão
  • Combate os radicais livres
  •  Fonte de substâncias importantes para o bem-estar e ânimo
  • Trabalha o poder de atração e desperta o sentimento de crença em si mesma

Jasmim:

  • Analgésico: Alivia dores de cabeça e musculares
  • Protege a microbiota intestinal
  • Fortalece o sistema imunológico
  • Trabalha o feminino e questões internas

Garanta o seu Chá de Autoestima agora na nossa loja online!

Publicado em Deixe um comentário

Como ouvir os sinais do seu corpo e se reconectar com ele em tempos de isolamento social

ouvir os sinais do seu corpo

Você já pensou em ouvir os sinais do seu corpo? O corpo fala, diariamente, nos transmitindo sinais e mostrando que hábitos e atitudes não estão nos fazendo bem. Ele manifesta isso em forma de resfriados, dores de cabeça, insônia, irritabilidade e muitas outras coisas.

A erotização do corpo feminino feita pelo patriarcado e a nossa rotina corrida, são um dos grandes responsáveis pela nossa falta de conexão com ele.

Nosso corpo é uma geometria sagrada mas nossa relação com ele acaba se baseando se o achamos atraente ou não, jovem ou não, bonito ou não. Mesmo você não percebendo, nosso corpo fala de forma não verbal e se conectar com ele de uma forma mais orgânica é a oportunidade de construir um olhar mais amoroso e respeitoso para você mesma.

Em tempos de isolamento social, temos a oportunidade de vivenciar e estar presente com nosso corpo como nunca antes. E agora que você não precisa mais se preocupar tanto se vai estar sexy no primeiro encontro, se aquela roupa te favoreceu… o seu olhar de julgamento naturalmente, diminuiu.

Não é o momento perfeito de se criar uma conexão e ressignificar a relação com o seu corpo? Você consegue ouvi-lo? Que tal exercitar uma nova forma de se relacionar com ele com mais respeito e amor?

Existe um exercício simples para essa conexão: basta você estar em um lugar confortável ou até mesmo no banho, já que esse é um momento que permite relaxar corpo e mente. Aproveite para sentir de forma consciente cada parte do seu corpo, se dê carinho e diga palavras de acolhimento: “Eu me perdoo, eu me aceito, eu me amo”.

Mesmo que pareça forçado no início, não menospreze o poder da palavra. Foque no seu chakra cardíaco, localizado na altura dos seios, perto do coração. Ele é o portal de nutrição e acolhimento, projetando sentimentos de força, confiança e liberdade, o centro do controle das emoções. Quando está em desequilíbrio, pode gerar baixa autoestima, depressão e ansiedade.

Para fazer essa prática, seja no banho ou não, é legal ter um óleo, algo que facilite o deslizar das mãos para massagear. Fica a sugestão: Você pode usar para esse momento óleo essencial de lavanda, bergamota ou alecrim. O óleo essencial de bergamota, segundo a aromacologia – estudo da influência dos odores no comportamento humano e nos nossos sentimentos e emoções –  ameniza a culpa, autocrítica, fortalece a autoestima e autoimagem.

A lavanda é conciliadora, trabalha a insegurança, carência afetiva e insônia. Já o alecrim, restaura nossa energia vital e trabalha oscilações de humor, angustia e irritabilidade.

Para usar o óleo essencial no seu corpo você precisa misturar com óleo vegetal: Coco, amêndoas, andiroba, entre outros. O uso do óleo essencial não diluído em óleo vegetal pode provocar sensibilização na pele! A mistura é simples, só colocar 3 gotas do óleo essencial escolhido em 1 colher de sopa de óleo vegetal e fazer sua auto massagem.

Respire fundo e relaxe. Ao começar, sinta o calor que ele te traz e a nutrição que vai sendo liberada. Com esse gesto simples e diário as memórias e couraças registradas no seu corpo vão sendo ativadas e liberadas.

Esse exercício é ótimo para que você se sinta nutrida e libere tensões acumuladas. Durante o processo é importante você prestar atenção em como o seu corpo reage, como a sua respiração fica. Pronta pra ouvir os sinais do seu corpo? O que ele quer te contar?

É um momento de conexão e reencontro com você e a sua essência. Aproveite.

— ♥ —

Texto por Letícia Rodrigues

Terapeuta, ginecologista natural, em formação de psicanálise e linguagem do corpo. Criadora do @mulheresdlua, em que trabalha a essência, reestruturação e patologias femininas através de técnicas milenares, por meio de atendimentos e grupos terapêuticos.

 

Publicado em Deixe um comentário

Planejamento financeiro: Como lidar com o dinheiro em tempos de coronavírus

planejamento financeiro

Nós do Invista como uma garota sempre falamos que a vida é muito mais fluida que uma planilha e que os planos mudam. Mas claro, ninguém estava contando com uma mudança tão drástica, algo que só uma pandemia pode causar ao nosso planejamento financeiro. Então o que podemos fazer e aprender nesse período tão turbulento de coronavírus em relação ao nosso dinheiro? Segue alguns pontos importantes:

Entender de uma vez por todas a importância da reserva financeira

Acreditamos que agora, mais do que nunca, é possível entender a importância de ter uma reserva de emergência. Perguntando para as garotas que nos seguem no nosso Instagram, esse foi o maior aprendizado em relação a dinheiro durante esses dias. Seja porque é o que está salvando ou porque precisou dessa reserva e não tinha. Independente da sua situação, a mensagem é para entendermos o quanto é fundamental conhecer mais sobre isso e colocar em prática o quanto antes porque é ela que nos permite passar por momentos tensos como o que estamos vivendo agora. Já falamos sobre isso aqui no Chá de Autoestima!

Dá uma lida nos textos: Como organizar suas finanças, Planejamento e orçamento financeiro mensal: Como fazer e 5 dicas para (finalmente) conseguir juntar dinheiro.

Se pergunte o que realmente é essencial (agora e depois) 

O que é realmente essencial e importante na sua vida? Vimos uma frase na internet que dizia: “É engraçado, a economia está prestes a colapsar porque as pessoas estão comprando apenas o que precisam”. Ninguém tá dizendo aqui que quando a pandemia passar a solução para não gastar é ficar sem sair de casa, sem viajar, sem comprar coisas novas – nosso ponto não é esse – mas esse momento talvez tenha possibilitado uma reflexão do que realmente é importante pra gente e, consequentemente, onde deveríamos usar nosso dinheiro.

As pessoas estão se reinventando e com isso a forma que usam o dinheiro também. Seus gastos com alimentação aumentaram ou diminuíram? Agora talvez ache importante fazer terapia? E algum curso novo? Será que a academia não tá pesando o orçamento? Não é possível mesmo fazer exercício de graça em casa depois que tudo passar? Aprendeu a fazer as unhas sozinha?

Agora que toda saída tem que ser planejada, quanta besterinha, que consome metade do seu cartão de crédito, você deixou de comprar na farmácia? Na padaria? Naquela fast-fashion? Quanto desses itens você percebeu que são dispensáveis? Esse é o raciocínio para você começar a construir uma reserva financeira.

Negocie as dívidas 

Pra você que tem uma dívida, esse talvez seja um bom momento para tentar negociá-la. A Selic, que é a nossa taxa de juros, nunca esteve tão baixa e portanto as instituições estão com mais necessidade – e vontade – do que nunca de receberem o que lhe devem. Para esse momento, se preparem: entendam quanto estão pagando de juros, quanto que está a taxa de juros hoje, quanto que é uma parcela que cabe no seu bolso. Quando chegamos com esses argumentos bem desenhados, fica mais fácil de negociar melhores saídas e soluções.

Peça ajuda

Em meio a tudo que está acontecendo, muita gente perdeu o trabalho ou teve uma baixa grande no orçamento. Estamos vivendo um momento único na história recente. As empresas e as pessoas estão mais abertas a ajudar. Não se feche, não tente resolver tudo sozinha, não se sinta insegura ou tenha vergonha de pedir ajuda e dizer que está com dificuldades, seja para conversar com o banco, seja para pedir para atrasar o aluguel um mês, pra pedir uma ajuda pra um amigo/familiar ou pra fazer outros tipos de trabalho.

Converse sobre o assunto e faça também com que boas soluções cheguem até mais pessoas. Ouvimos histórias de inquilinos que deram 50% de desconto para quem teve o salário reduzido nesse valor, histórias de financiamentos coletivos para quem não está podendo trabalhar, dando certo… Vá atrás dessas opções e também das que os governos e os bancos estão criando. Você pode se surpreender com as possibilidades.

— ♥ —

Texto por Vic e Aninha:

O Invista Como Uma Garota começou em 2018 como um projeto que aproxima mulheres com diálogos informais e sem tabu sobre dinheiro. Questões da mulher no mercado de trabalho, investimentos e orçamento pessoal são temas que abordamos. Somos apaixonadas por educação financeira e economia comportamental e encontramos assim uma forma de contribuir com a liberdade da mulher e sua autonomia financeira.

 

Publicado em 7 comentários

Não tente parecer rica se você não é: O que te faz consumir da forma como você consome?

Nao tente parecer rica se voce nao e

Há algum tempo, lemos um texto que descreveu muito bem um tema sobre o qual nós queríamos escrever há meses. Esse texto fala sobre como o custo do nosso estilo de vida enquanto somos jovens e a preocupação com o futuro (ou a falta dela) são os principais fatores que definem como será a nossa velhice.

No texto, o autor compara dois casais na casa dos setenta anos que tiveram rendas muito semelhantes ao longo da vida, tiveram a mesma quantidade de filhos, viviam no mesmo país.

Ao chegarem na terceira idade, um dos casais já estava tranquilamente aposentado e nunca se tornaria um fardo em termos financeiros para seus filhos.

Já o outro casal ainda estava trabalhando sem descanso e a dependência em relação aos filhos era só uma questão de tempo. A diferença entre eles? O filho do primeiro casal deu uma resposta simples e direta: “Meus pais não passaram a vida fingindo que eram ricos.”

Essa frase nos atingiu como um canhão. PUFT. Toma essa. E é sobre isso que a gente vai falar hoje.

Parando para pensar nos motivos pelos quais muitas de nós não guardam (e investem) dinheiro para o futuro, na verdade a resposta é muito simples:

A maioria de nós prefere usar nosso dinheiro hoje, no presente.

As coisas que queremos (roupas, viagens, shows, apartamento, sapatos, cursos, maquiagem, passeios, etc…) hoje são muito mais legais do que “uma velhice segura e tranquila” – isso parece tão sem graça, não?

Pois é, nós sabemos que não é fácil (mesmo!) priorizar algo que parece tão distante, tão chato, tão longe da nossa realidade. Mas isso não pode ser desculpa para você não se preparar. Se você quer fazer qualquer coisa daqui a algumas décadas que não seja trabalhar, trabalhar, trabalhar e se preocupar com dinheiro, você precisa começar a investir pelo menos 10% da sua renda desde já para se proteger. Esse é o maior gesto de carinho que você pode ter consigo mesma.

Não sabemos como serão as aposentadorias daqui a 20, 30, 40 anos, não sabemos como estará a nossa saúde, não sabemos como será o mercado de trabalho, não sabemos que tipo de gastos teremos lá na frente. Não tem jeito: precisamos ser o nosso próprio porto seguro, não podemos só torcer pra que tudo dê certo. A maioria dessas histórias não têm um final feliz.

Não queremos ser céticas e nem chatas, mas precisamos te falar a verdade – é pra isso que servem as amigas, não é mesmo? Então decidimos trazer aqui algumas reflexões que podem te ajudar :)

Nao tente parecer rica se voce nao e

Vamos começar pelo estilo de vida:

– Com que você gasta?
– Quanto você gasta com essas coisas?
– Isso é uma necessidade ou um luxo?
– É uma prioridade na sua vida?
– O que te faz consumir da forma como você consome?
– O que te influencia?

Em tempos de shoppings, Instagram, YouTube, influencers, fotos perfeitas e lojas online, essas perguntas são fundamentais. Às vezes nós aqui nos pegamos pensando “Nossa, guardar dinheiro devia ser muito mais fácil na época dos nossos pais…” justamente porque hoje, mais do que nunca, nós somos estimulados a consumir o tempo in-tei-ro, e não só pelos meios óbvios, como propagandas…

Você já parou pra pensar no quanto as fotos das viagens dos seus amigos no Instagram já não te fizeram querer pagar por uma viagem que você ainda não poderia fazer? E quantas vezes você não foi lá e fez mesmo, só porque todo mundo estava fazendo também? Você já parou pra pensar se você compraria tudo o que você compra e gastaria com tudo o que você gasta se as redes sociais não existissem, se você não fosse receber nenhum like?

O quanto será que nós estamos fazendo as coisas por uma pressão social, por uma ansiedade, por insegurança, por vontade de receber likes, por querermos fotos perfeitas, por querermos impressionar os outros?

Ou o quanto você compraria se não existissem lojas te perseguindo e te seduzindo no Instagram, no WhatsApp? Se essas coisas te afetam e se você tem um padrão de gastos acima do que você acha que deveria, tente repensar como eliminar esses gatilhos do seu dia a dia: quanto mais longe das tentações, melhor!

E aqui entra a outra reflexão que a gente quer te trazer: não seja irresponsável com seu dinheiro “só porque todo mundo também” está sendo. “Eu vou ter que dividir essa viagem em dez parcelas e vai ficar um pouco pesado no meu orçamento… Mas dane-se, essa vai ser uma experiência maravilhosa e imagina cada fotão que eu vou tirar nesse lugar!”

Acredite: ter tranquilidade sabendo que seu dinheiro está bem cuidado e fazer as coisas quando realmente podemos (sem peso na consciência!), essas sim são experiências maravilhosas.

E… Você teria um minuto para ouvir a palavra do minimalismo? Não estamos falando pra você ter 20 peças de roupas nem viver num apartamento só com uma cama, um fogão e uma geladeira e nunca comprar nada. Queremos que você pense se você precisa consumir no ritmo que você consome. E pode ser que você seja uma garota super consciente e controlada!

Não estamos dizendo que você está gastando mal o seu dinheiro, pode ser que você esteja arrasando!

Não nos entenda mal, por favor, hehe. Queremos que você dê um passo atrás e coloque a ditadura do consumo em perspectiva. – Ah! Se você ainda não viu o documentário “Minimalism” do Netflix, fica aqui a nossa recomendação.

Um fator que acreditamos que esteja totalmente ligado ao nosso padrão de consumo é a nossa falta de paciência. A ansiedade que nós, millennials temos (e porque não, que a Geração Z também tem) em mostrar o nosso sucesso. Queremos mostrar isso pela roupa que usamos, pelo bar que frequentamos, pelos shows, pelas viagens, pelos restaurantes.

Queremos mostrar que somos brilhantes, que somos mais avançados do que nossos pais eram na época deles… Mas será que somos mesmo? Quando chegam as contas pra pagar, as faturas do cartão, a necessidade de investir, o tempo mais longo para aquela promoção, ou uma demissão inesperada, cai a ficha de que precisamos ter paciência. Precisamos plantar por muito mais tempo do que imaginávamos para podermos colher.  

Por último, queremos reforçar o pedido para que você pense em quais são seus pontos fracos, quais são seus gatilhos para consumir. A comodidade da comida por delivery, que sai 5x mais cara do que cozinhar?

É a loja do Instagram que fica aparecendo no seu feed todos os dias? O passeio no shopping? São as fotos das amigas? Os amigos gastões? São os barzinhos?

É preguiça de acordar um pouco mais cedo e ir para o trabalho de ônibus? É não saber usar o cartão de crédito com responsabilidade? Entenda o que é que pega e faça algo a respeito! (Uma dica pra conseguir fazer isso é aprender a dizer dane-se para a opinião alheia… Nós recomendamos fortemente!)

Viva um degrau abaixo da sua renda

Viva com menos do que você ganha. Invista logo que o dinheiro cair na conta e gaste o que sobrar, tire uma parte da sua renda do seu alcance, finja que ela nem existe. E continue fazendo isso (e vá aumentando a porcentagem da sua renda que é destinada aos investimentos) conforme a sua renda for aumentando.

Não tente parecer rica se você não é. Pode ser gostoso no momento, mas essa sensação é passageira. Comece o quanto antes a investir para o seu futuro, não subestime isso. E então, tenha uma vida mais simples. Você nunca se arrependerá disso.

— ♥ —

Texto por Vic e Aninha:

Invista Como Uma Garota começou em 2018 como um projeto que aproxima mulheres com diálogos informais e sem tabu sobre dinheiro. Questões da mulher no mercado de trabalho, investimentos e orçamento pessoal são temas que abordamos. Somos apaixonadas por educação financeira e economia comportamental e encontramos assim uma forma de contribuir com a liberdade da mulher e sua autonomia financeira.