Publicado em 8 comentários

Ginecologia natural: banho de assento e vaporização como resgate das medicinas ancestrais

Muito antes da medicina tradicional surgir com seu avanço cientifico e tecnológico, o ser humano desfrutava da sabedoria da Mãe Terra, usufruindo de suas ervas medicinais não só para curar doenças, mas também para preveni-las. Nossas ancestrais queimadas em fogueiras e enforcadas como bruxas não passavam de curandeiras, cozinheiras, benzedeiras e entendedoras do reino vegetal e mineral que conheciam o poder da ginecologia natural, com banho de assento e vaporização, por exemplo.

Em um mundo onde conhecimento é poder, essa sabedoria acabou ficando limitada à algumas pessoas e esquecida pela grande maioria.

A Ginecologia natural ressurgiu buscando resgatar essas raízes ancestrais e nos reconectar com a nossa força interna e com a natureza, afinal de contas somos uma extensão da Mãe Terra, vivenciando seus ciclos mensalmente através do nosso útero sagrado.

O Útero é o “coração” do corpo da mulher, é nele que ficam armazenadas as nossas experiências, a energia da criatividade, vitalidade e as memórias uterinas, que nada mais são que lembranças de experiências vividas em outras vidas, de nossas ancestrais e das trocas energéticas que fazemos ao longo da vida. Ele é a nossa conexão com a nossa essência, com a mulher que existe dentro de nós.

ginecologia natural

Ilustração: Vanja Vukelić

Por consequência de uma sociedade patriarcal, nossos Cálices Sagrados estão repletos de informações e padrões errôneos e limitantes. Moldadas para encaixar em uma sociedade onde temos que ser lineares, encaixar em padrões de beleza, incorporar papeis pré definidos por nossas famílias e pela sociedade e pensar dentro da caixinha.

Abdicamos do verdadeiro significado de Ser Mulher e fomos colocadas no arquétipo de frágeis, impuras, incompetentes, sem senso de direção. Esses padrões armazenados em nosso útero, levam às mulheres a adoecerem, não a toa que cada vez mais cresce o número de mulheres com candidíase recorrente, endometriose, ovários policísticos, miomas entre outras doenças.

A fim de nos libertar desses padrões e restabelecer a saúde da mulher, as terapias naturais buscaram nas raízes ancestrais e resgataram as técnicas de limpezas uterinas. Técnicas simples e que vem se mostrando cada vez mais eficazes.

A vaporização do útero é uma técnica que vem ganhando espaço nas rodas de mulheres e tratamentos da Ginecologia Natural. Consiste em realizar uma sauna íntima. Primeiro você precisa definir um recipiente para fazer a vaporização, uma cumbuca que caiba pelo menos 800ml de água. Preferencialmente de barro, vidro ou louça, evitando plástico e metais.

O segundo passo é a escolha das ervas, cada erva traz propriedades específicas, é importante que a vaporização cumpra um propósito, por exemplo, tonificar o útero, limpar, cicatrizar, elevar a libido entre outros. A escolha da erva vai de acordo com o propósito, minha sugestão pessoal é iniciar com a Camomila, uma erva doce e gentil, mas que trabalha as memórias do útero profundamente.

Com o recipiente e as ervas em mãos, você vai colocar a água para ferver. Água quentinha, coloque-a junto com as ervas no recipiente, recolha-se a um lugar reservado, com uma música tranquila e fique de cócoras sem calcinha em cima do recipiente com a água e as ervas, absorvendo o vapor que sobe através da sua vagina, é importante que realmente fique uma sauna vaginal. É um ritual íntimo, pede tranquilidade e entrega.

Mas além de limpar as memórias uterinas e limpar o canal vaginal, essa tal de vaporização é para que?

Seus benefícios são, por exemplo:

  • Melhora a circulação, o fluxo sanguíneo para a área.
  • Proporciona sensação de bem-estar.
  • Relaxamento.
  • Limpa e tonifica a pele.
  • Alívio de dores (devido ao aumento do fluxo de sangue e oxigênio para a área lesada).
  • Melhoria do sono.
  • Aumenta a fertilidade.
  • Ajuda no tratamento de doenças como endometriose, SOP, miomas entre outras.
  • Alivia as cólicas menstruais.
  • Diminui os sintomas da TPM.
  • Conforta a mulher no pós-parto.
  • Desintoxica o útero e a vagina.
  • Depois da relação sexual, o vapor relaxa a musculatura pélvica, eliminando qualquer tipo de desconforto, dor ou tensão.

Apesar de ainda não ter nenhum estudo científico específico sobre a vaporização que comprove sua eficácia, fisicamente falando é perfeitamente compreensível que a técnica tenha um efeito, afinal de contas é como se fosse uma inalação vaginal, uma vez que o vapor vai se direcionar diretamente para o canal, onde a mucosa vaginal irá absorver o vapor com a propriedade das ervas. Isso acaba caindo na corrente sanguínea. O calor promove dilatação dos vasos e melhora a circulação sanguínea no local, o que potencializa mais a ação das substâncias utilizadas.

Como nem tudo são flores nessa vida, essa técnica maravilhosa também tem suas restrições. A vaporização em si não causa mal algum, porém em alguns casos ela não é indicada:

  • Se estiver grávida.
  • Se usar DIU.
  • Em casos de feridas abertas na vagina.
  • Em caso de candidíase, fazer a vaporização depois que os sintomas externos estejam amenizados.

Durante o ritual mantenha uma postura de meditação, a mente tranquila e deixe que as emoções se renovem e se purifiquem. Aproveite este momento de conexão com seu Sagrado interno, com suas memórias mais profundas, permita-se ser cuidada e amada por você mesma.

Dentro desse universo temos também o Banho de Assento, com certeza a maioria das mulheres já fizeram ou ouviram de suas mães e avós sobre os benefícios do banho de assento. Muito recomendado em casos de candidíase, vaginose, corrimentos e as vaginites que aparecem no decorrer da vida. Uma medicina popular ensinada de mãe para filha, simples de fazer e muito eficaz. Mais uma vez a ciência não se esforçou tanto para dar o seu parecer sobre a eficácia da técnica, mas milhares de mulheres testaram e aprovaram na prática.

Para realizar um bom banho de assento, é necessário uma bacia limpa de preferência nunca usada antes, bem grande que comporte uns bons litros de água, a escolha da erva nesse caso vai de acordo com o que será tratado, os banhos mais comuns são com camomila que ajuda a equilibrar o PH da vagina.

Prepare um chá bem forte da erva que será utilizada e junte-o ao restante da água na bacia, o banho pode ser realizado quente ou frio, banhos quentes são mais relaxantes e ajudam a aliviar as cólicas menstruais, banhos frios são direcionados normalmente nos tratamentos para candidíase. Sente-se sem calcinha dentro da bacia e deixe que a erva faça seu trabalho, o ideal é que o ritual dure entre 20 a 40 minutos. Aproveite esse momento para silenciar a mente e estar em conexão com o seu corpo e com o seu útero.

Em alguns casos o banho de assento não é indicado, como por exemplo:

  • Grávidas
  • Muitas vezes plantas podem causar alergias ou irritações, a região da genitália é sensível, por isso é importante ficar atenta e em casos de alergia suspender imediatamente o tratamento.

Os banhos de assento normalmente são indicados em casos de incômodos físicos, enquanto a vaporização trabalha diretamente com as memórias uterinas fazendo uma limpeza física e energética, mas não se engane, o banho de assento também atua energeticamente, afinal de contas a energia e a potência da erva estão ativas em ambos os tratamentos.

Importante é sentir o que o seu corpo está pedindo e com qual tratamento você sente mais conexão. Por trabalhar diretamente com a energia do útero e suas memórias, é comum ter sonhos mais intensos depois das limpezas, alguma crise de choro, sentir o corpo estranho ou se sentir estranha como um todo, a movimentação energética é intensa, por isso respeite o seu tempo e faça as limpezas quando sentir que é necessário, dê um intervalo entre uma e outra para que o seu corpo físico e emocional se recomponham e se regenerem.

A Ginecologia Natural pede para respeitarmos nosso relógio interno e ouvir nosso útero, ele vai nos mostrar exatamente o que e quando fazer, basta prestarmos atenção.

— ♥ —

Por: Carol Lana

dicas de ginecologia natural

Publicado em Deixe um comentário

Vitaminas e nutracêuticos: Tudo que você precisa saber sobre beleza e saúde em cápsulas

Complementares à dieta e aos tratamentos cosméticos, vitaminas e nutracêuticos são a bola da vez! Quem nunca ouviu falar dos benefícios do Ômega 3? Multivitamínicos? Ou os “milagres” da biotina e dos probióticos? Mas e aí, funcionam? Quais escolher? O que é importante saber? Vamos desvendar nesse post, tudo que você precisa saber sobre beleza e saúde em cápsulas.

beleza e saúde em cápsulas

Ilustração: Henn Kim 

Nutracêuticos são substâncias que auxiliam em prevenção ou tratamento de doenças. Estão inclusos os suplementos de vitaminas, minerais, fibras, proteínas, aminoácidos, carboidratos e gorduras.

Podemos fazer a seguinte analogia: estes elementos que citei, são tijolos para construção de um lindo castelo (nosso corpo). Conseguimos obtê-los através da alimentação, porém, em caso de insuficiência ou determinadas condições clínicas, necessitamos suplementá-las.

Há mais um grupo que pode ser considerado um nutracêutico: os fitoterápicos. Estes por sua vez, são exclusivamente de fontes vegetais, devido aos seus respectivos princípios ativos que são resultantes de seu metabolismo secundário, ou seja, estes alimentos de origem vegetal, produzem determinadas substâncias para a própria sobrevivência, que para nós exerce determinado efeito, como por exemplo, a curcumina, princípio ativo presente na Curcuma longa (açafrão ou cúrcuma), que possui efeito anti-inflamatório, antioxidante e depurativo em nosso organismo.

É imprescindível que o uso de suplementos seja realizado com orientação nutricional ou médica, pois existem inúmeras contraindicações e em determinadas doses e frequência podem sobrecarregar rins e fígado. Através de exames bioquímicos, o profissional irá determinar a conduta de acordo com a necessidade do paciente. É importante ressaltar que os suplementos não devem substituir determinado(s) alimento(s), e sim complementar.

Diferença entre nutracêutico e alimento funcional: O alimento funcional, assim como diz o nome, é o alimento em sua forma comum, acarretando em determinado efeito fisiológico benéfico, seja de prevenção ou tratamento. Enquanto os nutracêuticos incluem partes isoladas de alimentos, muitas vezes invisíveis a olho nu.

Por exemplo: O alho é um alimento funcional, devido ao fato de um composto chamado alicina em sua composição. A alicina quando suplementada de forma isolada do alho (Allium sativum L.), é considerada um nutracêutico. Em ambos os casos, o efeito deste composto será de fortalecimento do sistema imunológico, redução de colesterol e triglicerídeos e hipertensão de leve a moderada.

Vejamos agora alguns grupos de nutracêuticos que vocês provavelmente já ouviram falar e devem ter muitas dúvidas sobre.

– Ômega 3

Proveniente principalmente da linhaça, chia e peixes gordurosos (como sardinha, anchova, salmão, atum, arenque) possui um potente efeito anti-inflamatório, além de atuar na prevenção e auxílio no tratamento de doenças cardiovasculares, redução de colesterol e triglicerídeos, prevenção contra câncer, diabetes, alívio de sintomas autoimunes e distúrbios neurológicos. Para praticantes de atividade física, reduz o estresse oxidativo durante e após o exercício físico, evitando danos musculares e promovendo uma melhor recuperação do músculo.

– Cálcio:

É um componente imprescindível para construção e manutenção de ossos e dentes, da coagulação sanguínea, da contração muscular, do metabolismo de lipídeos (gorduras), participa da secreção de hormônios e é utilizada no transporte da vitamina B12.

– Vitamina D:

Essa vitamina de uso muito comum na suplementação ortomolecular tem efeito profilático (prevenção) contra osteopenia e osteoporose, além disso, melhora a imunidade e é importante para o funcionamento da tireoide. Também melhora artrite e atua regulando batimentos cardíacos.

– Biotina:

Provavelmente você já ouviu este nome relacionado com o tema da estética. A biotina é uma vitamina que promove crescimento celular, por este motivo é muito usada em tratamentos de cabelo e pele.

– Triptofano:

Este é o aminoácido essencial (ou seja, nosso corpo não é capaz de sintetizá-lo, sendo assim, é obtido apenas através da alimentação) menos abundante nos alimentos. Possui grande atuação no cérebro humano, em sinergia com a vitamina B6, B3 e o magnésio, que são fundamentais para a produção de serotonina, responsável pelos estímulos neurais e atuação no mecanismo do sono. O triptofano pode ser usado em quadros de depressão, insônia e ansiedade.

– Probióticos:

São microrganismos vivos utilizados para o desenvolvimento da flora bacteriana benéfica intestinal.

-Prebióticos:

São oligossacarídeos (tipo de carboidrato) não digeríveis que estimulam o crescimento da flora bacteriana benéfica intestinal, funcionando como alimento para estas bactérias.

-Simbióticos:

Uma combinação de probióticos com prebióticos.

Em uma visão simplificada, os três atuam como agentes que modulam a saúde intestinal. Como o intestino é o principal órgão de absorção dos nutrientes, acabam por influenciar em diversos sistemas corporais, sendo assim, o uso destes elementos podem reduzir colesterol e triglicerídeos (que quando elevados são riscos de doenças cardiovasculares), melhora de sintomas de alergia, redução de risco de câncer de cólon, recuperação mais rápida de deficiências nutricionais, melhora nos quadros de constipação (prisão de ventre) e síndrome do intestino irritável.

– Antioxidantes:

Os principais são vitamina Selênio, C, E, A (carotenoides), licopeno, luteína, zeaxantina, flavonóides. Ajudam a prevenir contra doenças crônicas, como hipertensão, doenças cardiovasculares, diabetes, dislipidemia, bronquite, osteoporose, câncer, deficiências neurológicas…).

Qual a importância dos antioxidantes? Nós somos expostos diariamente à diversos fatores que levam ao estresse oxidativo, ou seja, há muitos radicais livres circulando na corrente sanguínea e essa é a principal causa das doenças crônicas e degenerativas. Os fatores aos quais me refiro são: o estresse, alimentos industrializados, tabagismo, poluição ambiental, radiação, produtos químicos e estado de inflamação.

Só pelos dois primeiros que citei, já podemos concluir que devemos ingerir muito antioxidante para neutralizar o estresse oxidativo, concorda? Somos muito expostos ao estresse e a inflamação. Por isso, a alimentação o mais natural, colorida e variada possível, se mostra como melhor saída para evitar a necessidade de medicamentos no futuro.

– Fitoterápicos:

Antiinflamatórios:

Garra do diabo (Harpagophytum procumbens DC. ex Meissn. e H. zeyheri Decne)

Polígala (Polygala senega L.)

Salgueiro branco (Salix alba L. | S. purpurea L. | S. daphnoides Vill. | S. fragilis L.)

Unha de gato (Uncaria tomentosa)

Apoio gastrointestinal:

Alcachofra (Cynara scolymus L.)

Alcaçuz (Glycyrrhiza glabra L.)

Boldo, Boldo-do-Chile (Peumus boldus Molina)

Camomila (Matricaria recutita L.)

Cardo mariano (Silybum marianum (L.) Gaertn.)

Espinheira-santa (Maytenus ilicifolia Mart. ex Reiss., Maytenus aquifolium Mart.)

Gengibre (Zingiber officinale Roscoe)

Calmante:

Erva-doce, Anis (Pimpinella anisum L.)

Maracujá, Passiflora (Passiflora edulis Sims)

Melissa, Erva-cidreira (Melissa officinalis L.)

Energético:

Ginseng (Panax ginseng C. A. Mey.)

Guaraná (Paullinia cupana Kunth)

Expectorante:

Guaco (Mikania glomerata Spreng., Mikania laevigata Sch. Bip. ex Baker)

Sabugueiro (Sambucus nigra L.)

Outros exemplos de nutracêuticos:

Vitaminas B1, B2, B3, B5, B6, B9, B12, C, A, E, D, K, Colina, Biotina, Inositol, Cálcio, Fósforo, Magnésio, Ferro, Zinco, Cobre, Fluor, Iodo, Selênico, Manganês, Cromo, Boro, Silício, Molibidênio, Vanádio, Aspartato, Ácido glutâmico, GABA, Glutamina, Arginina, Carnitina, Cisteína, Fenilalanina, Creatina, Glicina, Lisina, Histidina, Metionina, Ornitina, Taurina, Prolina, Serina, Tirosina, Triptofano, L-theanina, Valina, Leucina, Isoleucina, Treonina , Glicosamina, Condroitina….

A lista é extensa e para os mais diversos fins. Se você se interessa em colocar na sua rotina não se esqueça: Suplementos devem ser administrados apenas com orientação do profissional. Existe uma infinidade de nutracêuticos e contraindicações. Por exemplo a alicina, não deve ser suplementada por indivíduos com gastrite aguda e úlceras. Também não é indicada para gestantes, pois aumentam as contrações uterinas. Além disso, interagem com anticoagulantes, hipotensores e hipoglicemiantes.

Conclusão: a individualidade de cada um deve ser levada em consideração antes de suplementar qualquer substância, para que não acabe por gerar desequilíbrio em vez de equilíbrio em novo organismo. Outra coisa importante: Tem hora certa e maneira adequada para tomar os suplementos, de forma que sejam melhores aproveitados pelo organismo e só um profissional pode te fornecer a melhor forma para o seu organismo.

Portanto, antes de rechear sua caixinha de comprimidos com vitaminas e nutracêuticos, conheça seu corpo e suas reais necessidades! Somos indivíduos e precisamos nos conhecer e conhecer nosso organismo para funcionar de forma saudável e feliz!

— ♥ —

Por Daniela Moura:

beleza e saúde em cápsulas

Publicado em 3 comentários

Guia de sugestão para uma alimentação detox!

Se você vive no mesmo planeta que eu, provavelmente é diariamente bombardeada com inúmeras possibilidades de alimentação detox: uma semana vivendo de suco, jejuns, hot yoga e por aí vai… Alimentação é muito importante para a saúde do corpo e da mente e é importante estar atenta com tudo aquilo que entra no seu corpo, afinal devemos nos cuidar com amor, sempre.

Mas eu acredito que alimentação não é apenas aquilo que se come. Alimento é tudo aquilo que te mantém e te sustenta. O ar que respiramos, o tipo de pensamento que temos, os sentimentos que nutrimos, o que escolhemos para estar em contato com nossos cinco sentidos, tudo isso pra mim, é alimentação. De que adianta tomar seu suco verde enquanto assiste as tragédias no noticiário? Não existe clorofila suficiente capaz de inibir toda a negatividade que vai te alimentar nesse instante. No momento das refeições é essencial estar presente. Sentir cada garfada, estar conectada com a comida.

Imagina se você decide conciliar uma tarefa importante com a televisão, celular, com os stories do Instagram… fica impossível perceber o momento presente, certo? Ao comer, é a mesma coisa. É preciso sentir a textura, cheiro, observar o nosso prato, usar todos os sentidos e apreciar o momento. Você já almoçou de frente para o Netflix com os olhos vidrados e quando se deu conta, o prato estava vazio e você nem sequer se lembra do sabor da comida? Sensação de completo desperdício.

Quando nos conectamos de verdade com os alimentos e construímos uma relação com eles, entendemos também a importância de sair do pensamento que carregamos desde muito novas, onde usamos os alimentos como recompensa ou punição. Precisamos mudar nossa relação com a comida.

Também é muito comum ver pessoas preocupadas com a alimentação, preocupadas em praticar atividades físicas, na busca de uma vida mais harmônica, mas sem atentar aos cosméticos. Não há diferença entre o que se come e o que se passa na pele, vai tudo para a corrente sanguínea. Por isso, cuidado ao escolher um montão de produtos com números e letras indecifráveis como ingredientes. Você comeria derivados do petróleo? Pois saiba que você, provavelmente, passa isso na sua pele, não apenas petrolatos, mas também silicone, parabenos (além de extremamente alergênicos, há estudos que os ligam ao envelhecimento precoce da pele e ao surgimento de células cancerígenas).

Não estou falando para você abandonar seus produtos favoritos. Mas existem  tantas opções naturais de produtos de beleza, além dos produtos artesanais e orgânicos. Temos o maravilhoso mundo dos óleos vegetais puros, infinitos tipos de argila, esfoliação com café, açúcar, sal. Dar uma chance para produtos um pouco mais naturais e atentar aos ingredientes é algo simples e muito possível.

Uma outra coisa que me choca é a banalização quanto ao uso de cosméticos falsificados, especialmente maquiagens. Sempre me impressiono como alguém pode, tranquilamente, passar na pele um produto cujos ingredientes são completamente desconhecidos, não passam por fiscalização de órgãos reguladores e sequer sabemos como e onde são feitos.

Já há provas que muitas dessas falsificações que a internet gosta de amenizar chamando de “réplica”, contém componentes que jamais deveriam estar em contato com nossa corrente sanguínea, como mercúrio, arsênio e até mesmo xixi de cavalo. Há registros fotográficos mostrando algumas dessas fábricas clandestinas e os ambientes de produção são completamente insalubres, a maioria de nós não se sentiria confortável em fazer uma refeição naquele lugar, imagina só produzir cosméticos!

É curioso o quanto nos preocupamos com a aparência da pele, mas raras vezes paramos para pensar o que estamos colocando para dentro do nosso corpo.

Então no seu próximo detox, que tal cercar-se de música boa, que acalme o espírito, belezas naturais e ar puro e, de quebra, experimentar um SPA Day de produtos naturais? Dica: há cosméticos incríveis na sua cozinha!

— ♥ —
Publicado em Deixe um comentário

5 alimentos ótimos para inserir na sua rotina de beleza

Muitas vezes acreditamos que para ter uma pele ou cabelos bonitos, temos que gastar muita grana com cosméticos, ou entupir a prateleira do banheiro com produtos específicos para cada área do corpo. Uma pele e cabelos saudáveis, começam com a ingestão de alimentos ricos em vitaminas e minerais e esses alimentos são encontrados prontos na natureza. Já pensou que talvez o que você precisa não está nas lojas de cosméticos e sim no mercado mais próximo da sua casa, ou até mesmo na sua cozinha? Fiz uma lista com 5 alimentos ótimos para inserir na sua rotina de beleza e como você pode tirar o melhor deles! Anota aí:

 

Cúrcuma

Também conhecida como açafrão-da-terra, se tornou alimento da moda e caiu no gosto popular. Pode ser utilizada em pó ou fresca e é considerada pela medicina Ayurvédica como ouro em pó. Muita gente só conhece a versão em pó, mas a cúrcuma é a raiz de uma planta da família do gengibre e se parece muito com ele. É um tempero delicioso, capaz de dar graça aos pratos mais insossos. Experimente picar um pouco da raiz (descascada), refogar junto com o alho e a cebola para fazer um arroz amarelinho e delicioso! Esse alimento maravilhoso possui propriedades antissépticas, analgésicas e estimulantes, além de ter a capacidade de reduzir os tecidos e o excesso de amido nos alimentos. Por isso é consumido diariamente na alimentação ayurvédica. Fora da cozinha, a cúrcuma em pó pode ser aplicada externamente em feridas, ajudando bastante no processo de cicatrização e é uma ótima alternativa natural aos mertiolates da vida. Bela Gil mostrou que também pode ser uma opção para escovar os dentes, com todas essas propriedades não há gengivite que resista!

Pepino

Alimento amigo do verão, super refrescante, que enfeita qualquer salada. O pepino é muito pouco calórico, ajuda a manter a hidratação do corpo, o funcionamento do intestino e a saúde muscular. Ele é tão maravilhoso que
nem precisa descascar, as sementes e a casca são cheios de betacaroteno (alou bronze!).

Uma receitinha deliciosa é bater um pepino junto com um tomate e temperinhos, coar e beber, é super refrescante! Quem nuca viu aquela foto de SPA com uma mulher super fina relaxando com rodelas de pepinos nos olhos? Não é à toa, ele ajuda muito a repor a hidratação da pele, especialmente no verão. Também tem efeito clareador, por isso se usa tanto na região dos olhos.

Bata um pepino com 1 colher de água, passe no rosto, coloque duas fatias sobre os olhos e relaxe, especialmente se a pele estiver maltratada pelo sol, também hidrata bem os cabelos e pode ser misturado a outros hidratantes naturais, como babosa.

Aloe vera (Babosa)

O suco de aloe vera melhora a digestão e fortalece o sistema imunológico, além de reduzir os níveis de glicose no sangue. Deve ser consumido com moderação e comprado na versão industrializada, por causa da aloína, um princípio ativo que pode causar irritações na mucosa intestinal. Aqui no Brasil, a Forever Living é uma empresa internacional que faz todos os seus produtos a base de aloe vera. A pasta de dente, por exemplo, não possui flúor e é um alternativa bem mais saudável e natural.

A babosa é conhecida pelo gel encontrado no interior de suas folhas, que é um poderoso hidratante. Basta abrir a folha com uma faca e retirar o gel, pode misturar com o creme de hidratação para os cabelos ou usar pura mesmo, passar na pele, especialmente em inflamações e picadas de insetos.

Camomila

A camomila tem efeito relaxante e calmante, é um ótimo aliado contra ansiedade e insônia e ajuda até nas cólicas menstruais. Recomendo sempre fazer o chá da flor seca, ao invés do de saquinho, pois conserva mais suas propriedades. O chá pode ser tomado quente ou gelado. E se você gosta de uma mistura com outras flores e especiarias, o Chá de Autoestima é uma boa dica para beber e tomar banhos.

A camomila é ótima para clarear e dar brilho aos cabelos e para remover as impurezas da pele, misturado a flor seca a um esfoliante natural.

Grama de trigo

A grama de trigo é um alimento poderoso, altamente curativo e com muita clorofila. Seu suco ajuda a controlar a gula e a tratar compulsão alimentar, melhora a digestão e estimula a circulação.

Ann Wigmore, a precursora da alimentação viva, tomava shots diários do suco de grama de trigo e assim curou uma gangrena nas pernas que resultaria em amputação. Para uso externo, trata doenças de pele e também ajuda muito contra o mau cheiro de suor e a curar feridas. Pode ser aplicado por toda a pele e também nos cabelos.

— ♥ —

Por Martha Maximiano: