Publicado em Deixe um comentário

Como ouvir os sinais do seu corpo e se reconectar com ele em tempos de isolamento social

ouvir os sinais do seu corpo

Você já pensou em ouvir os sinais do seu corpo? O corpo fala, diariamente, nos transmitindo sinais e mostrando que hábitos e atitudes não estão nos fazendo bem. Ele manifesta isso em forma de resfriados, dores de cabeça, insônia, irritabilidade e muitas outras coisas.

A erotização do corpo feminino feita pelo patriarcado e a nossa rotina corrida, são um dos grandes responsáveis pela nossa falta de conexão com ele.

Nosso corpo é uma geometria sagrada mas nossa relação com ele acaba se baseando se o achamos atraente ou não, jovem ou não, bonito ou não. Mesmo você não percebendo, nosso corpo fala de forma não verbal e se conectar com ele de uma forma mais orgânica é a oportunidade de construir um olhar mais amoroso e respeitoso para você mesma.

Em tempos de isolamento social, temos a oportunidade de vivenciar e estar presente com nosso corpo como nunca antes. E agora que você não precisa mais se preocupar tanto se vai estar sexy no primeiro encontro, se aquela roupa te favoreceu… o seu olhar de julgamento naturalmente, diminuiu.

Não é o momento perfeito de se criar uma conexão e ressignificar a relação com o seu corpo? Você consegue ouvi-lo? Que tal exercitar uma nova forma de se relacionar com ele com mais respeito e amor?

Existe um exercício simples para essa conexão: basta você estar em um lugar confortável ou até mesmo no banho, já que esse é um momento que permite relaxar corpo e mente. Aproveite para sentir de forma consciente cada parte do seu corpo, se dê carinho e diga palavras de acolhimento: “Eu me perdoo, eu me aceito, eu me amo”.

Mesmo que pareça forçado no início, não menospreze o poder da palavra. Foque no seu chakra cardíaco, localizado na altura dos seios, perto do coração. Ele é o portal de nutrição e acolhimento, projetando sentimentos de força, confiança e liberdade, o centro do controle das emoções. Quando está em desequilíbrio, pode gerar baixa autoestima, depressão e ansiedade.

Para fazer essa prática, seja no banho ou não, é legal ter um óleo, algo que facilite o deslizar das mãos para massagear. Fica a sugestão: Você pode usar para esse momento óleo essencial de lavanda, bergamota ou alecrim. O óleo essencial de bergamota, segundo a aromacologia – estudo da influência dos odores no comportamento humano e nos nossos sentimentos e emoções –  ameniza a culpa, autocrítica, fortalece a autoestima e autoimagem.

A lavanda é conciliadora, trabalha a insegurança, carência afetiva e insônia. Já o alecrim, restaura nossa energia vital e trabalha oscilações de humor, angustia e irritabilidade.

Para usar o óleo essencial no seu corpo você precisa misturar com óleo vegetal: Coco, amêndoas, andiroba, entre outros. O uso do óleo essencial não diluído em óleo vegetal pode provocar sensibilização na pele! A mistura é simples, só colocar 3 gotas do óleo essencial escolhido em 1 colher de sopa de óleo vegetal e fazer sua auto massagem.

Respire fundo e relaxe. Ao começar, sinta o calor que ele te traz e a nutrição que vai sendo liberada. Com esse gesto simples e diário as memórias e couraças registradas no seu corpo vão sendo ativadas e liberadas.

Esse exercício é ótimo para que você se sinta nutrida e libere tensões acumuladas. Durante o processo é importante você prestar atenção em como o seu corpo reage, como a sua respiração fica. Pronta pra ouvir os sinais do seu corpo? O que ele quer te contar?

É um momento de conexão e reencontro com você e a sua essência. Aproveite.

— ♥ —

Texto por Letícia Rodrigues

Terapeuta, ginecologista natural, em formação de psicanálise e linguagem do corpo. Criadora do @mulheresdlua, em que trabalha a essência, reestruturação e patologias femininas através de técnicas milenares, por meio de atendimentos e grupos terapêuticos.

 

Publicado em Deixe um comentário

Despertar espiritual: como a pandemia tem afetado nossa fé

despertar espiritual

Muitas questões, dúvidas e incertezas pairam no ar nesse momento. “O mundo vai mudar completamente”, “o modo de vida que conhecemos hoje não será mais o mesmo” e outras frases como essas estão pipocando por aí. E tentar decifrar o que isso quer dizer, só causa ansiedade e angústia. Será que estamos passando por uma espécie de despertar espiritual coletivo?

Claro que o mundo vai mudar, já mudou! Quando você imaginou, de verdade, viver uma pandemia? Pensou ser possível fazer isolamento social (essa expressão algum dia chegou a passar pela sua cabeça?). Já mudou, nossa ressocialização vai ser lenta, a forma que consumimos cultura, por exemplo, não será mais a mesma (ninguém vai sair de um isolamento direto pra um show lotado).

A forma como estamos olhando pro outro, principalmente os que estão passando mais dificuldade, é outra. Aliás, o consumo é o grande “x” da questão quando a gente pensa na grande mudança.

Mesmo que não seja a maioria pensando assim, não podemos negar que colocou as coisas em perspectiva até pros mais céticos e digamos, “desumanos”. Todo mundo tá sendo impactado no seu modo de vida de alguma forma. E isso coloca as coisas em perspectiva sim.

Mas sabemos também que temos um enorme poder de resiliência e dependendo do real impacto desse novo vírus, tudo pode voltar ao “normal”, à velha exploração de antes.

Mas eu não vim aqui pra falar dessa mudança. Não vim falar de consumo, de capitalismo. Vim falar de sentimento, de consciência. Muitas previsões de pessoas espiritualizadas, de numerólogos, de médiuns, já nos avisavam sobre esse evento. Na verdade, sobre esse conjunto de eventos. Alguns dizem que isso é só o começo, que serão dois longos anos de muitos desafios pela frente.

E é disso que eu quero conversar. Independente do que você acredita, tem alguma coisa, alguma coceirinha, uma pulga atrás da orelha te fazendo pensar minimamente por esse lado? Pelo lado da natureza das coisas? Vocês acham que seguimos um caminho natural até chegar aqui? Vocês acham que é sustentável tamanha exploração da Terra, dos animais e de próprios humanos? Eu não acho.

E o que eu tenho observado é que muita gente está passando por um “despertar” nesse momento. Algumas pessoas já sentiram isso até antes um pouco do caos de fato começar, lá no final do ano passado. Pode parecer oportunismo essa nova consciência espiritual, mas me diz aí, tem momento mais oportuno que esse pra gente colocar a mão na consciência? Porque não encararmos isso como uma chance de sermos melhores de verdade?

Eu não vim trazer nenhuma solução. Eu não tenho entendimento de nada disso, eu não acredito em líderes espirituais. Mas eu acredito em consciência e em intuição e isso TODO MUNDO tem. A gente só tá mega desconectado mesmo.

Então é isso, eu queria falar de sentimento, lembra? Os papos sobre produtividade, procrastinação, ansiedade, angústias são super importantes nesse momento. Até porque são eles que podem nos levar ao nível de despertar, de abrir os olhos, de rever prioridades. A gente literalmente precisa se adaptar na vida prática (que não parou, né!). Mas também temos que admitir que ganhamos o que a gente mais sentia falta e que custava caríssimo: tempo.

E eu tô muito a fim de usar esse tempo pra expandir a minha consciência, pra elevar a vibração, pra pensar na chatíssima hashtag “gratidão”, pra bater mais papos sinceros com meu anjo da guarda e pra isso eu preciso ouvir a minha intuição. Que sempre esteve aqui, mas talvez silenciada.

Como a gente sempre disse: não existe autoestima sem autoconhecimento. Somos seres muito privilegiados e estamos usando nossos super poderes de forma errada. Não precisa crer em um Deus pra perceber isso. Tudo ainda está muito no começo e a gente não tem a menor ideia do que esperar, mas uma coisa é certa: olhar pra dentro, se fortalecer energeticamente, exercitar empatia e compaixão são coisas que nunca vão te fazer mal algum.

Publicado em 3 comentários

Autoestima e autoconfiança feminina através de ervas, flores e especiarias

Autoestima e autoconfiança feminina é aquela força que vem de dentro, aquela luz que não se apaga, que enxergamos aqui fora através de um sorriso solto, de um olhar brilhante, de uma presença que preenche os lugares, independente do tamanho da roupa, da altura, do peso.

E junto dessa beleza interior que expande para o exterior, vem a autoestima. A autoestima tão citada nos dias de hoje é a companheira inseparável da beleza interna. Quando temos essa dupla, não há nada que nos faça parar! Porque a autoestima faz com que o amor próprio nasça ou renasça, cresça e se desenvolva.

E assim, nos nutrimos perante a vida, exigindo dela somente o melhor. A confiança vem, o merecimento interno vem e esse combo maravilhoso se transforma em empoderamento.  E seguimos, dia após dia, cada vez mais fortes e preenchidas dessa energia.

 

Autoestima através de ervas

 

Se amar não deveria ser tão difícil, mas muitas vezes é. Muitos julgamentos, muitos preconceitos, muitas lições de “moral” e muitas crenças erradas que foram implantadas lá atrás, que acabamos carregando e repassando de geração em geração, gerando quase um círculo vicioso.

Tudo isso se sintetiza no momento que olhamos no espelho e só vemos as coisas “ruins” de nós mesmas e reproduzimos frases feitas em geral, “não pode isso”, “não pode aquilo” e assim vai.

Felizmente, vejo hoje uma mudança, que vem crescendo tímida, mas muito corajosa, e se espalhando ao redor do mundo. Vejo muitas adolescentes procurando se conhecerem, antes de se julgarem. Vejo mães de família participando de rodas de mulheres, encontrando abraços e braços para ajudá-las.

Vejo senhoras quebrando paradigmas e finalmente se libertando de tantas crenças e reencontrando aquela beleza interior, se amando verdadeiramente. Porque não há beleza maior que ser livre para ser e fazer o que quiser.

E nessa mudança de pensamento, nessa substituição de crenças, a cosmetologia natural se encaixa perfeitamente, pois ela favorece também essa beleza interior, não somente a exterior. Através das plantas e flores, temos muitas possibilidades para nos encontrar e nos sentirmos mais confortáveis na nossa pele.

A Natureza é sábia, é completa e nos nutre, é a nossa mãe. E nos ajuda muito no processo de nos amar, de nos reconectar e trazer a autoestima de volta pra casa. Pensando nisso, separei algumas ervas, flores e especiarias que facilitam esse processo de nos amarmos e nos aceitarmos como somos, para sermos livres e belas por completo.

No geral cito algumas sugestões para usá-las in natura ou secas, separadamente, mas vale a pena prestar atenção nos biocosméticos, checar se eles levam algumas dessas ervas em suas formulações e assim conseguir usar no dia a dia em forma de sabonete, shampoo, cremes e até mesmo sprays para ambientes.

 

– Gerânio (Pelargonium graveleons)

 

O óleo essencial extraído dessa flor é intitulado como o “óleo essencial da feminilidade”. Essa flor tem aroma marcante e floral e possui o poder curativo do feminino, pois ajuda a ativar o feminino em nós. Ela desperta o amor próprio, a autoestima e ajuda a resolver os conflitos internos.

E nos fornece muita coragem e empoderamento, ativando a criatividade e a intuição e ajudando a tratar depressões provenientes de mudanças hormonais. O Gerânio me ajudou muito na minha busca interior, sempre será minha flor queridinha!

Para trazer o Gerânio na sua vida pode-se usar o óleo essencial da flor em um aromatizador pessoal ou diluído em óleo vegetal para massagear o corpo. Cuidado com a proporção correta para se diluir, lembrando que os óleos essenciais são os princípios ativos naturais das plantas resultando em substâncias orgânicas, lipofílicas, voláteis e concentradas, ou seja, um verdadeiro extrato concentrado. Então requer muito cuidado na diluição e jamais se deve aplicar o óleo essencial diretamente na pele, ok?

Também dá para fazer um chá com as flores e preparar um banho relaxante com esse chá, mentalizando sempre a força dessa flor ou fazer um escalda-pés.

 

– Sálvia (Salvia sclarea)

 

A Sálvia é poderosa! Com seu poder de estimular a autoconfiança, ela nos ajuda a resgatar o olhar positivo sobre nós, facilitando o amor próprio e a necessidade de nos cuidarmos. Resgata a autoimagem positiva, nos faz relaxar e nos sentirmos mais à vontade em nossos corpos.

Ela nos dá suporte energético para os dias que estamos pra baixo, ameniza nossos descontroles emocionais. Com a Sálvia conseguimos enxergar as situações com mais clareza, enxergamos a nossa verdade interior.

O óleo essencial dessa planta traz aterramento, nos puxa para a realidade, elimina as ilusões, nos ajuda no processo de ver a verdade, para que sempre lembremos nosso poder e de onde viemos e para onde vamos! É uma planta com um poder ancestral e de limpeza maravilhoso para nós, mulheres.

Dá para usar também na forma de óleo essencial, sempre diluído em óleo vegetal ou através de incenso natural com as folhas, ou preparar um banho com a Sálvia… enfim, dá pra introduzir essa planta no dia a dia facilmente. Atenção: na gestação o óleo essencial da Sálvia não deve ser usado, ok? 

 

– Lavanda francesa (Lavandula angustifolia)

 

Você sabia que a Lavanda é uma erva importantíssima para a mulher? Nesse caso, a Lavanda é maravilhosa, pois ela ajuda a mulher em todas as suas fases, inclusive na gestação. Ela é versátil e completa, traz a sensação de segurança através da diminuição da intensidade emocional das memórias.

Nos ajuda a relaxar, traz paz e também harmonia interior. Ajuda a combater inseguranças e carências afetivas despertando discernimento e autocontrole.

A Lavanda é maravilhosa para a depressão feminina, pois trabalha questões internas mal resolvidas e padrões emocionais mal assimilados. Também nos traz ternura, aconchego e facilita a estabilidade emocional necessária para que consigamos nos livrar de sentimentos como a frustração, decepção e angústia.

Traga a Lavanda para as suas vidas, através de óleo essencial ou através das flores secas, para fazer um banho quando se sentir pra baixo e precisando de acolhimento ou um escalda-pés bem relaxante.

 

– Artemísia (Artemísia vulgaris)

 

Erva poderosa para o feminino, nos tira a carga pesada de nossas costas, aliviando nossa caminhada e nos traz força e objetividade e favorece a sensibilidade. É uma erva de limpeza, muito usada em vaporizações de útero.

Não pode ser usada na gestação, pois é abortiva, porém é indicada na hora do parto, pois facilita contrações uterinas. Auxilia as cólicas menstruais, regula nosso ciclo.

Use-a em escalda-pés, em incensos naturais, em chá, juntamente com alecrim, regularizando o funcionamento de rins, estômago e fígado. Atenção, o chá de Artemísia é poderoso e pode ser tóxico em grandes doses, então muita atenção e consciência na hora de introduzir essa erva em suas vidas.

 

– Alecrim (Rosmaninus officinalis)

 

O alecrim que conhecemos tão bem é uma erva que é muito boa pra despertar a nossa alegria interior! Ele traz clareza e força interior, traz foco, aumenta a vontade própria, pra começarmos as coisas, traz capacidade de memorização e preenche os ambientes com alegria!

Maravilhoso em escalda-pés, também nos banhos e chás. Hipertensos: cuidado para não abusar, pois ele tende a fazer que a pressão arterial se eleve, então usem com cautela.

 

– Canela (Cinnamonuun zeylanicum/cassia), contém no Chá de Autoestima!

 

A canela não é erva e nem flor, mas trouxe aqui também pois essa especiaria é demais! A canela traz fluidez, nos ajuda a quebrar uma possível rigidez psíquica, trazendo movimento e espontaneidade.

Ela equilibra quando estamos nervosas, traz um espírito jovial e aquece nossos corações quando nossos sentimentos são frios e facilita a interação, nos permitindo a deixar de lado ações que nos isolam, para nos integrar, sempre com muita alegria. Use canela nos chás, nos escalda-pés, na alimentação! Grávidas devem evitar o uso, ok?

 

– Camomila (Matricaria recutita), contém no Chá de Autoestima!

 

Essa flor foi importante no meu processo de cura interior, me ajudou em diversos aspectos, na forma de chá. Sempre que pensamos na camomila imaginamos uma florzinha frágil para fazer chá calmante, porém ela é muito mais que isso.

Ela representa o sistema reprodutor, o útero, a força da mulher.  Ela nos liberta de culpas, medos, liberta o útero, que é o nosso local de cura espiritual. A camomila acalma e nos acolhe também, dando uma força necessária para nos enxergamos sem medo e com muita suavidade.

Nos ajuda a combater as inseguranças, transforma expectativa em calma. É um excelente anti-inflamatório e calmante para a pele. Então tome chá de camomila, faça escalda-pés com essa flor, use e abuse em óleos de massagem! A camomila cuidará de você como cuidou de mim!

 

– Rosa (Rosa spp)

 

Essa flor linda e cheirosa é a mãe de todas as flores! Ela resgata o feminino nas mulheres, resgata a autoconfiança e remove sentimentos de frustração. É o amor pleno, incondicional, assim como o amor de mãe.

É ternura, as pétalas representam a generosidade e a suavidade. Energia protetora e de transformação da mulher, resgatando a essência verdadeira e única. Então deixe que a rosa te acolha como uma mãe mesmo, te abraçando e dizendo que está tudo bem.

Ao mesmo tempo em que ela tem a suavidade, ela tem a força também. Isso que ela vem nos trazer, uma força interior necessária diante da vida, com muita generosidade, intensidade e prazer em viver! Faça escalda-pés e banhos.

 

– Jasmim (Jasminum officinalis), contém no Chá de Autoestima!

 

O jasmim é uma flor delicada e cheirosa, que nos traz uma imersão em nossos sentimentos, de forma bem delicada. Ele gera confiança, otimismo e acalma as emoções e ansiedades.

Também pode ser afrodisíaco, mas creio que seja por seu aroma exótico e doce, que tranquiliza e ao mesmo tempo inspira confiança, bem descontraidamente, nos abrindo para o mundo e para nós mesmas. Faça escalda-pés, banhos, chás.

Tem muitas e muitas ervas que favorecem a gente nessa busca interior, em prol de nós mesmas. Deixei aqui só algumas, mas tem muito mais. Muitas ervas escolhem as mulheres, então certamente terá aquele chazinho que você gosta de tomar e ele te acolhe tão bem e nesse momento de introspecção você tem os insights necessários para certas decisões ou clareza para algumas situações e pode ser que seja um chá de uma erva totalmente diferente das ervas citadas acima.

Pois existe sim essa ligação única e linda da mulher com as ervas, elas podem te escolher, basta saber escutar a sua intuição. 

Tenham momentos de comunhão com a natureza, pois ela ajudará vocês a se reconectarem com essa força interior que nem sempre estará tão forte assim diariamente. E está tudo bem! Pois somos cíclicas, temos altos e baixos, dias bons e dias ruins, só não podemos apagar essa luz interna, que nos move e nos dá confiança para seguir caminhando.

Gosto de uma frase e sempre a repito, uma frase que ouvi de uma grande mulher: o autoconhecimento é um caminho sem volta. E completo: é um caminho lindo e cheio de obstáculos, mas muito prazeroso, pois é o caminho de volta pra casa. E nada é mais libertador e lindo que voltar pra nós mesmas, por completo.

— ♥ —

Por: Mayane Milinavicius De Nadal

Autoestima e autoconfiança feminina através de ervas

Publicado em 2 comentários

Ginecologia natural: Um novo olhar para a saúde da mulher

A Ginecologia Natural é um movimento que vem crescendo cada dia mais. Muito mais do que se tratar com plantas, a Ginecologia Natural é reconectar-se com você mesma e com a sabedoria ancestral. É um assunto que está se ampliando agora no Brasil, mas na realidade é apenas um retorno às origens.

Ilustração: Vanja Vukelić

Nossas avós, bisavós e tataravós já usavam desse conhecimento a décadas atrás, mas infelizmente com o tempo fomos perdendo este contato direto com a natureza e com os processos naturais do corpo feminino. Com o passar dos anos a medicalização excessiva foi tomando conta, a ideia do sangue menstrual ser algo sujo, ou tabu, pílulas são receitadas por motivos como “melhorar a pele” e sintomas naturais do corpo como cólica são tratados com analgésicos e corrimentos com pomadas lotadas de química.

Vocês já pararam pra pensar na quantidade de substâncias artificiais que usamos diariamente? Resultado da perda do contato com nosso corpo, nossa ovulação e menstruação e com a preocupação excessiva com a estética externa do corpo são motivos para vários transtornos que atormentam as mulheres atualmente.

A Ginecologia Natural permite que a mulher retome seu poder pessoal, seja dona de todas as decisões sobre o seu corpo e seja especialista de si mesma. É um trabalho de autopercepção, de autoentendimento e de muito autoconhecimento.

Nosso corpo é nossa maior ferramenta nessa jornada de cura e conscientização. É uma redescoberta de si mesma e do seu feminino, uma grande conexão com a sua essência e com saberes ancestrais com o único objetivo que você possa ser você mesma de forma segura, completa, curada e consciente.

Traz de volta o conhecimento ancestral das mulheres sábias que tinham em sua menstruação um momento sagrado de recolhimento e conexão. Das mulheres que se reuniam e sabiam de sua força. Fortalece a conexão com nós mesmas, com nossos ciclos internos, com nosso sangue e com a Deusa que habita em cada uma de nós.

A ginecologia natural é uma terapia holística, uma forma de ver a mulher como um todo, não tratando os sintomas apenas, mas a pessoa por completo, uma terapia que vai tratar os corpos sutis e os chakras, indo à matriz do desequilíbrio trazendo à consciência aquilo que estava nas sombras.

Se uma mulher tem cisto no ovário por exemplo, na ginecologia natural não se trata de pedir exames e prescrever remédios, mas ouvir toda a história da mulher, quais são seus sentimentos e pensamentos, no que acredita e como lida com sua feminilidade e menstruação. Acredita que o corpo nos mostra, algo que carregamos na nossa energia e que precisamos entender de forma mais ampla.

A ideia é substituir a ginecologia tradicional pela ginecologia natural? Não. Mas com certeza é uma forma mais leve de lidar com seu corpo. O método já  ajudou mulheres com candidíase, endometriose e é maravilhoso para quem deseja fazer a transição bem feita do anticoncepcional para um método mais natural e saudável.

Na ginecologia natural, a mulher entende a importância de ouvir os sinais do corpo, observar e registrar todo o processo e assim, entender e se envolver com seu ciclo menstrual. Ou seja, quando tem TPM, quando ovula, quando irá menstruar, quando seu muco está anormal…

As ervas, os chás e as tinturas são um complemento num tratamento natural que antes de tudo pede auto observação, amor próprio e um cuidado consigo mesma que nenhum outro tratamento requer. Um complemento muito importante para nos ajudar nessa jornada de autocura. A Terra em toda sua perfeição e generosidade nos forneceu milhares de ervas que nos beneficiam fisiologicamente e energeticamente.

Demanda paciência, os resultados não são imediatos, mas vão direto na raiz. Se conhecer, se cuidar, se respeitar, se tratar, se amar e se curar: esta é a verdadeira Ginecologia Natural.

Aqui no GWS você pode encontrar outros textos sobre essa conexão mais real com seu corpo: Diário da lua vermelha, alinhando seu ciclo menstrual com a lua e Sagrado Feminino: O que é e como te ajuda a se conectar mais com você mesma.

Quer mergulhar mais no assunto?

— ♥ —

Por Carol Lana: