fbpx

A Ginecologia Natural é um movimento que vem crescendo cada dia mais. Muito mais do que se tratar com plantas, a Ginecologia Natural é reconectar-se com você mesma e com a sabedoria ancestral. É um assunto que está se ampliando agora no Brasil, mas na realidade é apenas um retorno às origens.

Ilustração: Vanja Vukelić

Nossas avós, bisavós e tataravós já usavam desse conhecimento a décadas atrás, mas infelizmente com o tempo fomos perdendo este contato direto com a natureza e com os processos naturais do corpo feminino. Com o passar dos anos a medicalização excessiva foi tomando conta, a ideia do sangue menstrual ser algo sujo, ou tabu, pílulas são receitadas por motivos como “melhorar a pele” e sintomas naturais do corpo como cólica são tratados com analgésicos e corrimentos com pomadas lotadas de química.

Vocês já pararam pra pensar na quantidade de substâncias artificiais que usamos diariamente? Resultado da perda do contato com nosso corpo, nossa ovulação e menstruação e com a preocupação excessiva com a estética externa do corpo são motivos para vários transtornos que atormentam as mulheres atualmente.

A Ginecologia Natural permite que a mulher retome seu poder pessoal, seja dona de todas as decisões sobre o seu corpo e seja especialista de si mesma. É um trabalho de autopercepção, de autoentendimento e de muito autoconhecimento.

Nosso corpo é nossa maior ferramenta nessa jornada de cura e conscientização. É uma redescoberta de si mesma e do seu feminino, uma grande conexão com a sua essência e com saberes ancestrais com o único objetivo que você possa ser você mesma de forma segura, completa, curada e consciente.

Traz de volta o conhecimento ancestral das mulheres sábias que tinham em sua menstruação um momento sagrado de recolhimento e conexão. Das mulheres que se reuniam e sabiam de sua força. Fortalece a conexão com nós mesmas, com nossos ciclos internos, com nosso sangue e com a Deusa que habita em cada uma de nós.

A ginecologia natural é uma terapia holística, uma forma de ver a mulher como um todo, não tratando os sintomas apenas, mas a pessoa por completo, uma terapia que vai tratar os corpos sutis e os chakras, indo à matriz do desequilíbrio trazendo à consciência aquilo que estava nas sombras.

Se uma mulher tem cisto no ovário por exemplo, na ginecologia natural não se trata de pedir exames e prescrever remédios, mas ouvir toda a história da mulher, quais são seus sentimentos e pensamentos, no que acredita e como lida com sua feminilidade e menstruação. Acredita que o corpo nos mostra, algo que carregamos na nossa energia e que precisamos entender de forma mais ampla.

A ideia é substituir a ginecologia tradicional pela ginecologia natural? Não. Mas com certeza é uma forma mais leve de lidar com seu corpo. O método já  ajudou mulheres com candidíase, endometriose e é maravilhoso para quem deseja fazer a transição bem feita do anticoncepcional para um método mais natural e saudável.

Na ginecologia natural, a mulher entende a importância de ouvir os sinais do corpo, observar e registrar todo o processo e assim, entender e se envolver com seu ciclo menstrual. Ou seja, quando tem TPM, quando ovula, quando irá menstruar, quando seu muco está anormal…

As ervas, os chás e as tinturas são um complemento num tratamento natural que antes de tudo pede auto observação, amor próprio e um cuidado consigo mesma que nenhum outro tratamento requer. Um complemento muito importante para nos ajudar nessa jornada de autocura. A Terra em toda sua perfeição e generosidade nos forneceu milhares de ervas que nos beneficiam fisiologicamente e energeticamente.

Demanda paciência, os resultados não são imediatos, mas vão direto na raiz. Se conhecer, se cuidar, se respeitar, se tratar, se amar e se curar: esta é a verdadeira Ginecologia Natural.

Aqui no GWS você pode encontrar outros textos sobre essa conexão mais real com seu corpo: Diário da lua vermelha, alinhando seu ciclo menstrual com a lua e Sagrado Feminino: O que é e como te ajuda a se conectar mais com você mesma.

Quer mergulhar mais no assunto?

— ♥ —

Por Carol Lana:

 

Veja também

Copyright © 2021 Chá de Autoestima. Todos os direitos reservados.