fbpx

Senti vontade de falar com vocês um pouquinho sobre positividade e influência. Existem tantas coisas a serem analisadas nessas questões e que muitas vezes se perdem em discursos prontos ou vazios. Vamos começar falando de positividade e a tal da gratidão?

O que significa energeticamente falando, vibrar positivamente em uma situação? Pensar positivo significa passar por situações difíceis, dolorosas e desafiadoras da forma mais resiliente possível. Percebendo quais os aprendizados você pode tirar daquela situação, qual o seu papel naquela situação, como você pode de forma ativa fazer a diferença naquela situação.

Ser positiva é acreditar no seu poder e no poder do mundo de transformação e superação. É entender que existe o caos, mas não entregar sua força energética e mental para o caos, porque isso seria paralisador e potencializaria sentimentos e ações não construtivas para você e pra o mundo.

Sabe aquele meme da turma da Mônica, deles correndo em círculos gritando “O que tá acontecendo? Eu não sei, eu não sei!!”, aquilo é basicamente entregar sua mente ao caos. Se manter positiva, vibrar luz e amor não tem a ver com fingir que o caos não existe. Tem a ver com perceber qual o seu papel dentro do caos, como você pode ser agente de mudança, qual a sua força, voz e capacidade para reverter, melhorar aquele cenário ou simplesmente não piorar.

O problema é que muita gente hoje em dia, usa a positividade e a gratidão como escudo para se manter alienado e centrado em seu próprio umbigo. E essa positividade de fachada, que gera alienação, tem muito mais a ver com egoísmo, irresponsabilidade, medo e covardia do que com positividade, amor e gratidão.

Não ler as notícias, fingir que nada tá acontecendo, dizer que tudo é lindo é ignorar o caos como parte fundamental da bonança. Em tempos difíceis ser positivo e vibrar amor tem a ver com ser responsável: Qual o meu papel nesse momento? Como eu posso fazer a diferença? Quais as ferramentas que eu possuo para interferir de forma ativa e positiva nessa situação? Como eu posso usar a minha influência de forma realmente positiva e construtiva nesse cenário?

E aí chegamos no tema influência… e claro, influenciadores. Vamos lembrar que influenciador não é algo que você pode se autodenominar. Quem determina quem e o que influencia a sua vida é você mesmo. Se algo ou alguém tem relevância, status e importância, pessoas colocaram esse indivíduo nessa posição.

Alguém não, milhares de pessoas. E por que? Qual a reflexão podemos tirar disso? Será que a forma da gente repensar influência é tornando pessoas que não concordamos com o posicionamento ainda mais relevantes? É dando engajamento? É tornando seu nome conhecido? (lembrem-se do fale mal, mas falem de mim). Ou chegou o momento de revermos para quem NÓS damos palco e por quê?

Por que os perfis que mais fazem sucesso e possuem maior relevância são os que vendem uma vida plastificada? Por que as pessoas que tem maiores números de seguidores são pessoas ególatras? Acho válido aqui também fazer uma outra reflexão…

Pessoalmente, não vejo problemática somente nos perfis #gratidão, não. Por que as pessoas gostam de seguir perfis que destilam intrigas e polêmicas? Ou outras que até falam de questões importantes e relevantes, mas abordam os temas de forma tão soberba e agressiva?

Muitos influenciadores cresceram vendendo uma vida dos sonhos e falsa positividade, outros, cresceram fazendo você acreditar que odiá-los é o caminho e, muitos outros, vivem do conteúdo gerado de ver o circo pegar fogo. Por que esses perfis são os mais seguidos?

Será que os nossos grandes influencers não são um reflexo de nós? Será que queremos mesmo conteúdos de qualidade ou no fundo gostamos desse ambiente que alimenta nossa raiva, nosso ego, nossa ideia de superioridade toda vez que alguém é cancelado?

Eu não tenho as respostas, mas queria convidar vocês para pensar sobre isso. Somos todos influenciados e influenciadores de alguma forma. O que você está fazendo hoje para agir positivamente e de forma construtiva nessa pandemia?

O que você tem feito hoje para construir redes sociais mais saudáveis para todos nós? Onde você tem colocado sua energia e seu foco, sua admiração, seu like, seu compartilhamento? Qual conteúdo você manda para suas amigas no WhatsApp? Para o que você dá voz? Quais sentimentos você anda alimentando na internet e fora dela?

Não se esqueça: Nós não somos espectadores. Somos todos agentes de mudanças.

 

Veja também

Copyright © 2021 Chá de Autoestima. Todos os direitos reservados.