Publicado em Deixe um comentário

Ginecologia Natural: como abandonar a pílula

Atualmente cada vez mais mulheres vem buscando se reconectar com a sua força interna através da Ginecologia Natural. As rodas de mulheres e a busca por métodos naturais para se tratarem crescem cada vez mais. Mas uma preocupação ainda existe: Como abraçar nosso ciclo menstrual, sem mascarar com pílulas e DIU hormonal e ainda sim previnir uma gravidez indesejada? Como funcionam os contraceptivos na ginecologia natural? Por que devo menstruar?

ginecologia natural contraceptivos

Ilustração: Teflon

O ato de menstruar ainda é tabu para algumas mulheres, o contato com essa parte íntima ainda causa alguns desconfortos e com o surgimento do anticoncepcional que veio principalmente para dar liberdade para a mulher, o contato com a menstruação acabou ficando mais superficial. 

Para muitas menstruar não faz sentido algum e é apenas um desconforto mensal. Mas é na menstruação que está nossa conexão maior com nós mesmas. O sangue menstrual traz energias e padrões que esteve presente em nós durante todo aquele ciclo, é quando menstruamos que liberamos essa densidade. 

Com a descoberta dos contraceptivos sintéticos a mulher se sentiu mais livre, primeiro para escolher quando e se ela quer engravidar e também para desviar daqueles desconfortos como menstruar na praia ou em uma viagem de férias por exemplo. Inibir o ciclo menstrual se tornou algo natural para a mulher moderna, porém com o passar dos anos e com a redescoberta da Ginecologia Natural muitas mulheres vem buscando cada vez mais alternativas naturais. 

O medo da gravidez indesejada ainda é o maior medo, muitas questionam se realmente existe um método natural que evite eficazmente uma possível fecundação. Nenhum método é 100% eficaz, inclusive os da medicina tradicional, mas a melhor forma de se precaver é conhecendo o seu ciclo menstrual. 

O nosso ciclo é composto por quatro fases: menstruação, pré ovulação, ovulação e pré menstruação. Em média trabalhamos com a ideia do ciclo de 28 dias, mas não existe ciclo ideal, cada mulher vai ter o ciclo ideal para ela de acordo com a alimentação, exercícios, emoções e pensamentos. Por isso o mapeamento é muito importante para todas as mulheres, só através dessa auto percepção que você realmente vai conhecer o seu ciclo. Através da mandala menstrual esse acompanhamento pode ser feito facilmente. 

Anotar as percepções também é muito importante, como você se sente em cada fase do ciclo, em qual fase da lua você está menstruando, sensações físicas de cada fase, assim você vai observando o seu padrão pessoal. O muco vaginal é outro ponto importante, ele que avisa que a ovulação está se aproximando e acontecendo. Durante a pré menstruação e a menstruação não há muco vaginal, pós menstruação o nosso corpo começa a produção do muco na esperança que ocorra uma fecundação em breve. O muco é o primeiro sinal de que estamos prestes a ovular, então se proteja para que nada aconteça.

Autoconhecimento é o chamado principal nos caminhos da Ginecologia Natural, é a forma mais segura de nos prevenirmos de vários aspectos. Menstruar é um ato natural do corpo, é saudável deixar o sangue fluir para fora de nós.

Através da percepção das características do sangue podemos avaliar a saúde do nosso útero e do nosso sistema reprodutor. Na menstruação liberamos memórias uterinas, energias densas e que não nos pertecem mais. É o momento em que o corpo se desfaz para renascer, faz parte da ciclicidade que nós mulheres representamos. Na ginecologia natural acreditamos que inibir esse processo é deixar de lado uma parte da nossa essência. 

Não podemos esquecer da camisinha, lembrando que ela é a única que protege contra DST’s e a quem a maior eficácia no quesito proteção. Para quem usa a camisinha somente nos finalmentes, a prevenção contra DST (doença sexualmente transmissível) acaba indo por água abaixo, já que a pele e os fluidos já tiveram contato antes. Vale a pena fazer um esforço para usá-la da forma ideal e quebrar a ideia de que com camisinha é ruim. Hoje em dia tem inúmeras variedades de tamanhos, texturas e materiais. Não tem desculpa.

Quais as opções naturais existem para suprir métodos da ginecologia tradicional?

DIU de cobre:

Nessa busca por uma alternativa natural muitas mulheres acabam optando pelo DIU de cobre, um dispositivo intra uterino, mas que não libera hormônio. O DIU deve ser colocado por alguém habilitado e tem uma vida útil de mais ou menos 10 anos, atualmente é um dos métodos mais usados pelas mulheres. Como em todo método, tem seus prós e contras, por exemplo: 

Vantagens:

•Não interfere na relação sexual

•Pode durar até 10 anos

•Não se sente o objeto de forma alguma

•Qualquer mulher pode usar

•A retirada é simples e rápida não causando efeitos colaterais

Desvantagens:

•Não previne contra DSTs

•Deve ser colocado por um profissional

•Durante a colocação pode sentir um pouco de cólica

•É possível ocorrer rejeição

•O ciclo menstrual pode ficar alterado nos primeiros 6 meses

•Necessita de acompanhamento periódico

É uma alternativa que não é totalmente natural, afinal de contas não deixa de ser um dispositivo estranho dentro do útero, irá interferir na conexão direta com o nosso centro de poder e criatividade. 

Diafragma:

Outra alternativa que esse universo feminino oferece é o diafragma, que é é um anel flexível normalmente revestido de látex que é introduzido no canal vaginal antes da relação sexual. Ele impede o encontro dos espermatozoides com o óvulo. Uma alternativa ecológica, já que é reutilizável, pode durar até três anos e não interfere na regularidade do ciclo menstrual. O tamanho ideal do diafragma deve ser medido por um profissional. 

Temperatura basal:

Medir todos os dias  sua temperatura pela manhã é um dos métodos mais simples de verificar a ovulação. Logo quando acordar, mesmo antes de sair da cama, e antes de fazer qualquer coisa. Resumindo, acorda e tira logo a temperatura. O termômetro pode ser usado na boca, no recto ou vagina, porém se colocar na boca é mais eficaz, pois na boca, em menos tempo consegue-se verificar a temperatura.

Os resultados da temperatura basal corporal são anotados numa tabela, durante vários ciclos, predizendo a sua ovulação. Esta tabela diária mostrará a altura da ovulação de forma eficaz e simples. Para além de tudo, também vai indicar o período certo para conceber ou não.

Já existe até app pra isso, um dos mais legais é o NaturalCycles.

Tabelinha:

Consiste em evitar o sexo no período fértil, levando em conta que o dia da ovulação acontece exatamente na metade do ciclo. A principal falha é errar o cálculo e acabar mantendo relações no período em que na teoria, você não deveria ter relações.

Existem vários aplicativos para monitorar a menstruação. Nesse post tem algumas dicas dos melhores.

Método de Ovulação Billings (MOB):

Esse método é baseado na análise do aspecto do muco do colo do útero para prever períodos de maior ou menor fertilidade.

O que pesa muito contra o método é o fato de necessitar de um período inicial de observação para identificar o padrão de variação do muco, sem contar a dificuldade em perceber, ao certo, se outros fatores estão influindo em seu aspecto, como a lubrificação da vagina ou eventuais corrimentos. Por isso,  se engravidar é algo que você realmente não deseja, esse método pode ser um pouco arriscado.

Acima de tudo é muito importante a mulher conhecer o seu próprio corpo, sentir quando ela está preparada para deixar o anticoncepcional para trás e experimentar qual a melhor alternativa para o seu corpo. Respeitar o seu próprio tempo, sem as expectativas alheias e despida do dever de pertencer. A Ginecologia Natural acolhe à todas independente de qualquer coisa, é cada uma no seu tempo e da sua forma que vamos construindo uma nova percepção do que é ser mulher e a dádiva que é menstruar.

— ♥ —

Por Carol Lana:

Idealizadora do projeto “Curandeiras de Si”, Womb Keeper registrada, formada em ginecologia natural, homeopatia e constelação familiar. Acima de tudo sou mulher e desbravadora de um mundo único e vasto que é o universo feminino.